Arquivos de Tags: imagens - Page 2

Tubarões – Fotógrafo chega perto dos animais sem nenhuma proteção – Fotos

foto-tubarao-imagem-fotografoAo encontrar um tubarão, a reação da maior parte das pessoas seria apenas uma: fugir. Mas o fotógrafo Todd Bretl garante que, para uma relação amigável com eles, é preciso fazer justamente o contrário e nadar tranquilamente na direção do animal. O profissional, que vive nas ilhas Bermudas, pratica mergulho desde criança e é especializado em registrar a vida marinha. Para as fotos, ele não utiliza nenhum equipamento de segurança, nem sistema de aproximação digital. Isso quer dizer que Todd realmente nada lado a lado das feras dos mares. Ele nunca sofreu acidentes e garante que sequer presenciou um comportamento agressivo de tubarões.Segundo Todd, o importante é manter a calma e, é claro, escolher bem o tipo de tubarão para se aproximar. Ele evita os brancos – o maior peixe predador do mundo – e os makos – os mais rápidos. A maior parte de suas fotos foi feita nas Bahamas, onde as espécies são menos perigosas, como o tímido limão ou o curioso tigre. Mesmo assim, se irritados, eles podem atacar. O profissional simplesmente entra na água e espera os animais chegarem. Como não é preciso mergulhar muito fundo, Todd pode passar o dia todo cercado por criaturas marinhas, apenas esperando pelo clique perfeito. Confira alguns deles.

tubarao-com-a-boca-aberta-imagem

 

tubarao-mostrando-os-dentes-imagem

 

tubarao-cardume-imagem

 

tubarao-com-a-boca-aberta-imagem-foto

 

tubarao-imagem-foto

Animais recém-nascidos que cabem na palma da mão

Existe coisa mais graciosa do que um bicho pequenino, daqueles que cabem na palma da mão? Certamente não. Ratinhos, pássaros, esquilos e até filhotes de porco-espinho fazem sucesso em uma série de fotos postadas pela web. Claro que eles não sofreram maus-tratos, foram apenas retratados por apaixonados pela natureza. Quer ver uma seleção sensacional?animal-pequeno-hamster-filhoteO pequeno hamster dorme na mão de uma pessoa (Foto: Marjolein/onebigphoto.com)

animal-pequeno-esquilo-filhoteBebês esquilos só nascem duas vezes ao ano: na primavera e no verão (Foto: Alex Kaufman/onebigphoto.com)

animal-pequeno-cobra-filhoteSupercolorida, a pequena cobra parece dar um sorriso (Foto: Sébastien Del Grosso/onebigphoto.com)

animal-pequeno-camaleao-filhoteCamaleões bebês são tão pequenos… (Foto: Sam Driscoll/onebigphoto.com)

animal-pequeno-veado-filhoteEste pequeno veado órfão foi resgatado e tem apenas 500 gramas (Foto: Jeff Moore/onebigphoto.com)

animal-pequeno-golfinho-filhoteGolfinho de apenas 10 dias de idade (Foto: Miguel Rojo/onebigphoto.com)

animal-pequeno-passarinho-filhotePassarinhos recém-chegados ao mundo (Foto: Michael Forster Rothbart/onebigphoto.com)

animal-pequeno-gato-filhoteO filhote de gato cabe na palma da mão (Foto: Reprodução/onebigphoto.com)

animal-pequeno-texugo-filhoteO texugo bebê com a manchinha característica da espécie na cabeça (Foto: Reprodução/onebigphoto.com)

animal-pequeno-porco-espinho-filhoteQuando nascem, os porcos-espinhos têm espinhos maleáveis (Foto: Beatriz Pacheco/onebigphoto.com)

Animal mais feio do mundo – Peixe bolha é eleito o símbolo para preservação de “animais feios”

foto-peixe-bolha-psychrolutes-marcidus-imagem-animal-mais-feio-do-mundoO gelatinoso peixe-bolha (Psychrolutes marcidus), com sua cara de poucos amigos, ganhou uma votação pública para se tornar o mascote oficial da Sociedade para a Preservação dos Animais Feios, da Inglaterra.Isso dá ao peixe o título não-oficial de animal mais feio do mundo.

A entidade começou como um evento noturno de comédia com o tema ciência e depois elaborou a campanha do mascote para atrair atenção para as espécies “esteticamente desfavorecidas” que estão ameaçadas.
O vencedor foi anunciado no Festival Britânico de Ciência em Newcastle.

O peixe-bolha é o primeiro da lista, que inclui o macaco-narigudo (Nasalis larvatus), a tartaruga-nariz-de-porco, a rã-do-Titicaca (conhecida em inglês como “rã-escroto”) e os piolhos pubianos.

O biólogo e apresentador de TV Simon Watt, presidente da Sociedade para a Preservação de Animais Feios, disse esperar que a campanha chame a atenção para as ameaças que essas “criaturas estranhas e maravilhosas” enfrentam.

“Nossa abordagem convencional à conservação é egoísta. Nós só protegemos animais com os quais nos identificamos porque eles são fofinhos, como os pandas”, disse à BBC.

“Se as ameaças de extinção são tão ruins quanto parecem, focar somente na fauna carismática não faz sentido.”

“Não tenho nada contra pandas, mas eles têm que os ajude. Esses animais (os ‘feios’) precisam de ajuda”, acrescentou.

O que morreu hoje?

Watt disse esperar que a votação do mascote também mostre um lado mais leve do ativismo conservacionista.

“É o tipo mais deprimente de ciência. É basicamente descobrir: o que será que morreu hoje?”

Para realizar a campanha, Watt trabalhou com um grupo de comediantes. Cada um deles fez um vídeo no YouTube defendendo seu animal favorito. Em seguida, a sociedade pediu ao público que votasse
O peixe-bolha acabou ganhando a eleição com quase 10 mil votos.

Essa criatura estranha vive no mar do sudeste australiano e na Tasmânia, em profundidade entre 600 e 1,2 mil metros, onde a pressão atmosférica é dezenas de vezes mais alta do que no nível do mar.
Seu corpo gelatinoso é só um pouco mais denso do que a água e ele passa sua vida “quicando” nas profundezas.

O peixe se alimenta de caranguejos e lagostas. Por isso, sofre uma ameaça significativa dos arrastões de pesca. Apesar de não ser comestível, ele fica preso nas redes.

Os habitats de outros animais candidatos ao título de criaturas mais feias também enfrentam perigos semelhantes.

Por isso, Watts insiste que a conservação da natureza deve se concentrar em proteger habitats, e não espécies específicas.

Carly Waterman, do programa de Espécies de Evolução Distinta e Globalmente Ameaçadas (Edge, na sigla em inglês), da Sociedade Zoológica de Londres, elogiou a campanha e afirmou que é importante conscientizar as pessoas a respeito dos animais tradicionalmente menos “carismáticos”.

“Uma grande proporção da biodiversidade do mundo está sendo ignorada. Levantar a bandeira dessas espécies é positivo.”

Conheça os outros finalistas:

foto-kakapo-papagaio-imagem-animal-feio-mundo

Kakapo

É o único papagaio do mundo que não voa. Também conhecido como papagaio-mocho, esse pássaro pesado se desenvolveu na Nova Zelândia, que funcionou como uma “bolha”, sem predadores naturais. Mas o país agora tem muitos mamíferos, incluindo humanos, que dizimaram sua população. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza, somente 126 dessas aves permaneciam na natureza no início de 2012.

 

foto-axolote-imagem-animal-feio-mundoAxolote

Essa salamandra mexicana nunca cresce. Ela passa sua vida inteira embaixo d’água, ao contrário de outras salamandras, que desenvolvem a habilidade de respirar fora da água quando amadurecem. Mas o estado perpétuo de larva em que o axolote permanece faz com que os membros que ele perde cresçam de volta. Também significa que essas criaturas são de grande interesse para os cientistas. As salamandras são estudadas por sua aparente resistência natural ao envelhecimento e ao câncer. Elas vivem somente em um pequeno grupo de lagos no México que estão se tornando cada vez mais poluídos.

foto-ra-do-titicaca-imagem-animal-feio-mundoRã-do-Titicaca

Também conhecida como “rã escroto”, esse anfíbio vive somente no lago Titicaca, nos Andes. A rã desenvolveu uma capacidade pulmonar reduzida, então suas muitas dobras de pele a ajudam a respirar. De acordo com os relatos de alguns pesquisadores, estes animais fazem “flexões” no fundo do lago para criar perturbações na água e aumentar o fluxo de oxigênio.

foto-macaco-narigudo-imagem-animal-feio-mundoMacaco narigudo

Além do seu enorme nariz, esse primata também é rechonchudo, resultado da sua dieta de frutas verdes. Só os machos tem narizes tão grandes e, apesar de parecerem estranhos, acredita-se que sua aparência os torna mais atraentes para parceiras em potencial.

Trolltunga – Imagens de um precipício de 700 metros de altura no Lago Ringedalsvatenet, em Odda ( Noruega)

Chama-se Trolltunga (Língua do Troll). Trata-se de um precipício de 700 metros de altura sobre o Lago Ringedalsvatnet, em Odda (Noruega). A pedra inclinada vem atraindo recentemente aventureiros mais radicais de vários países. Tudo pela adrenalina de se sentar na extremidade da rocha e desafiar a vertigem. Nas primeiras três fotos, o turista tcheco Thomas Havel, de 18 anos, arrisca-se sentado com as pernas penduradas.foto-trolltunga-precipicio-lago-ringedalsvatenet-odda-noruega-imagem

 

foto-trolltunga-precipicio-lago-ringedalsvatenet-odda-noruega

 

Daredevil Leans Over Vertigo Inducing 2300ft Drop

 

imagem-trolltunga-precipicio-lago-ringedalsvatenet-odda-noruega

Fotos de crateras da terra – Imagens de cinco profundas depressões que formam lindas paisagens no mundo

Nosso planeta é coberto por buracos tão fundos e grandes que podem ser vistos até do espaço. Alguns foram causados pela queda de meteoritos e cometas e muitos outros pela exploração de diamantes e metais preciosos. Veja exemplos impressionantes destas “cicatrizes” deixadas na Terra.foto-cratera-na-terra-mina-grasberg-indonesia-imagem

Mina Grasberg, Indonésia

É a maior mina de ouro do mundo e a terceira maior de cobre. Construída em 1963 por 175 milhões de dólares, funciona até hoje e emprega 19.500 funcionários. São dois buracos, o maior deles com 8 km² e 480 metros de profundidade.

foto-cratera-na-terra-mina-mir-russia-imagem

Mina Mir, Rússia

Muitos diamantes saíram da quarta maior mina do mundo, hoje inativa, localizada no leste da Sibéria. Ela tem 525 metros de profundidade e diâmetro de 1,2 quilômetro. Foi a primeira e maior mina da União Soviética e funcionou por 44 anos, até 2001. A partir dos anos 1990, foi operada pela empresa exploradora Sakha, que tinha lucros de 600 milhões de dólares por ano. A cratera é tão grande que o espaço aéreo acima é fechado, pois helicópteros podem ser sugados por correntes de ar.

foto-cratera-na-terra-pingualuit-canada-imagem

Cratera Pingualuit, Canadá

Na língua inuktitut, significa “onde a terra se eleva”. Isso porque a região fica a 160 metros acima da tundra ao redor. O buraco tem 3,4 quilômetros de diâmetro e 400 metros de profundidade. Foi formado pela queda de um meteorito ou cometa há cerca de 1,4 milhão de anos. Um lago preenche a depressão. Ele é um dos mais profundos da América do Norte, com 267 metros. Sua água é considerada uma das mais puras do mundo, devido à sua transparência: é possível enxergar a até 35 metros.

foto-cratera-na-terra-mina-ekati-canada-imagem

Mina Ekati, Canadá

Composta por seis buracos, esta mina produziu, entre 1998 e 2009, 40 milhões de quilates de diamantes. Hoje o minério da superfície foi esgotado, mas escavações subterrâneas continuam a retirar cerca de 7,5 milhões de quilates por ano.

foto-cratera-na-terra-mina-the-big-hole-africa-do-sul-imagem

The Big Hole, África do Sul

A cidade de Kimberley é o lar da De Beers, uma das maiores empresas de mineração e comércio de diamantes do mundo, e é considerada a capital das pedras preciosas. A cratera é o resultado do trabalho de 30 mil homens em 1871, quando o primeiro exemplar foi encontrado. Rapidamente, o buraco alcançou 300 metros de diâmetro e 1,1 quilômetro de profundidade. 14.5 milhões de quilates foram encontrados lá, incluindo o famoso Cullinan, de 3,1 mil quilates, aproximadamente 621 gramas.

Meteorito que caiu na Rússia – Acidente deixou quase mil feridos e provocou pânico nos moradores, segundo as autoridades.

foto-meteoro-que-caiu-na-russia

Pessoa observa buraco provocado por meteorito em lago congelado Chebarkul na Rússia.

 

meteoro-que-caiu-na-russia-foto

Trilha de um meteorito é visto em Chelyabinsk, na Rússia, nesta sexta (15). O meteorito se desintegrou numa enorme onda de pressão, que quebrou vidros e deixou quase mil feridos, segundo as autoridades.

 

Foto fornecida pela polícia de Chelyabinsk mostra buraco de seis metros em um lago congelado, supostamente provocado pela queda do meteorito, na região de Chelyabinsk.

Foto fornecida pela polícia de Chelyabinsk mostra buraco de seis metros em um lago congelado, supostamente provocado pela queda do meteorito, na região de Chelyabinsk.

 

meteoro-que-caiu-na-russia-foto-imagem

Meteorito atingiu cidade na Rússia nesta sexta-feira (15) deixando ao menos 950 pessoas feridas.

 

imagem-meteoro-que-caiu-na-russia-foto

Cerca de 950 pessoas ficaram feridas em consequência de um meteorito que atravessou o céu sobre a Rússia nesta sexta-feira (15), lançando bolas de fogo na direção da Terra, quebrando janelas e acionando alarmes de carros, segundo autoridades locais.

 

Meteorito deixou vidros quebrados e acionou os alarmes dos carros. Os celulares também tiveram o funcionamento afetado pelo incidente.

Meteorito deixou vidros quebrados e acionou os alarmes dos carros. Os celulares também tiveram o funcionamento afetado pelo incidente.

 

Fábrica de zinco é atingida por meteorito nesta sexta-feira (15) na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. Cerca de 500 pessoas ficaram feridas e 100 tiveram que ser hospitalizadas.

Fábrica de zinco é atingida por meteorito nesta sexta-feira (15) na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. Cerca de 500 pessoas ficaram feridas e 100 tiveram que ser hospitalizadas.

 

Fábrica de zinco teve parte do telhado destruido por meteorito nesta sexta (15).

Fábrica de zinco teve parte do telhado destruido por meteorito nesta sexta (15).

Pitty lata – Cachorro nasce com mancha no formato do numeral 1

Um cachorro de apenas 29 dias de vida surpreendeu uma família em Salvador desde que foi adotado, na segunda-feira (26), dia em que chegou à nova casa, no bairro de Itapuã, na orla da capital baiana. “Pitt“, como foi apelidado, nasceu com uma mancha no formato do numeral um no pelo.

“Eu achei que era sujeira, aí comecei a esfregar, passar produtos para limpar, mas ele começou a choramingar e nada do número sair. Aí a gente viu que era uma pinta, mesmo”, conta a dona do animal, Rosa Maria Carvalho.

Pitt, que ganhou esse nome em homenagem ao ator americano Brad Pitt, chegou à casa da funcionária pública doado por um amigo dela. O animal foi adotado junto com a irmã, a cadela Bela, que é preta com manchas brancas, mas não tem a mesma marca inusitada.

“É bem característico, bem claro. Todo mundo ficou muito impressionado”, conta Carla Carvalho, filha de dona Rosa e uma das donas do animal, que relatou o caso.
Segundo ela, os dois animais nasceram em um abrigo de Salvador. “A gente viu no o caso do cachorro que nasceu com um sinal em forma de coração, aí resolvemos mostrar Pitt às pessoas”, conta.

Os pelos mais escuros, que contrastam com o restante do corpo do animal, nascem com a coloração diferente desde a raiz. Com o morador ilustre recém-chegado, a família de dona Rosa Maria tem dedicado a ele todas as atenções e mimos. “Como ele é uma mistura de pit bull com vira-lata, a gente chama ele de Pitty lata“, brinca Carla Carvalho.

Aranhas caranguejeiras – 9 espécies habitam árvores em diferentes regiões do Brasil

Uma fêmea da caranguejeira ‘Typhochlaena costae’
(Foto: Reprodução/’ZooKeys’)

Um pesquisador do Instituto Butantan, sediado em São Paulo, descobriu nove espécies novas de aranhas caranguejeiras brasileiras, naturais de vegetações de Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. O estudo com a descrição dos animais foi publicado na última semana no periódico “ZooKeys”.

Aranha ‘Typhochlena curumim’, encontrada na Paraíba, segundo o estudo (Foto: Reprodução/’ZooKeys’)

As espécies, pertencentes a três gêneros distintos, são Typhochlaena amma, Typhochlaena costae, Typhochlaena curumim, Typhochlaena paschoali, Pachistopelma bromelicola, Iridopelma katiae, Iridopelma marcoi, Iridopelma oliveirai e Iridopelma vanini.

Uma fêmea da aranha caranguejeira ‘Typhochlaena amma’
(Foto: Reprodução/’ZooKeys’)

As caranguejeiras são encontradas em áreas do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste brasileiros, segundo o aracnólogo Rogério Bertani, pesquisador do Butantan e responsável pelo achado. Ele ressalta que os animais têm hábitos arborícolas, isto é, vivem em árvores e plantas.

Algumas espécies são bem pequenas. “Dá para dizer que são as menores [caranguejeiras] arborícolas do mundo”, disse Bertani. Um dos três gêneros tem características antigas, o que torna algumas das aranhas “quase relíquias”, na visão do cientista. “São remanescentes. É como algo que sobreviveu ao tempo.”

Duas das novas espécies vivem dentro de bromélias, comportamento raro em aracnídeos deste tipo, informa o pesquisador. Como as espécies são coloridas e chamativas, ele teme pelo impacto do tráfico de animais.

Apesar de não haver pesquisas que mostrem que as espécies estão ameaçadas, algumas delas são raras e podem correr risco de desaparecer, segundo o cientista. Ele aponta fatores que reforçam o risco, como a dependência de vegetação, já que as aranhas são arborícolas; a destruição dos habitats naturais, que sofrem há anos com o desmatamento; e o fato de os animais viverem em áreas específicas, com distribuição limitada pelo território brasileiro.

Para Bertani, a descoberta das novas espécies é importante para mostrar que existe uma grande fauna na Mata Atlântica e no Cerrado, que precisa ser melhor estudada por ser pouco conhecida.
As caranguejeiras brasileiras possuem veneno, em geral, mas não são consideradas peçonhentas porque o efeito é fraco para as pessoas. A aranha usa a substância para capturar insetos e outros pequenos animais usados em sua alimentação.

Fotos de animais esquisitos


A lagartixa da espécie Uroplatus fimbriatus é encontrada nas florestas tropicais de Madagascar. Ela pode chegar a 30 centímetros de comprimento. Como não tem pálpebras, ela usa a língua para remover a poeira dos olhos.

A da espécie Centrolenidae é conhecida como rã de vidro porque tem a pele quase transparente. Ela vive em florestas úmidas da América Central e do Sul.

A Aye-aye é uma espécie de lêmure com olhos saltados e grandes orelhas. Ela vive nas florestas de Madagascar e usa o longo dedo médio para retirar larvas dos troncos de árvores ocas.

O Axolotl é uma espécie de salamandra mexicana que não se desenvolve. O nome é de origem asteca e significa monstro aquático.

O Társio é um dos menores primatas do mundo. Ele mede apenas 13 centímetros e traz os olhos grandes e arredondados como seu grande diferencial. O animal também tem habilidades ultrassônicas. Ele consegue produzir e ouvir sons que fogem do alcance da audição humana.

A Giraffa Trachelophorus é uma espécie de inseto encontrado em Madagascar. Ela tem esse nome por causa do pescoço estendido, parecido com o da Girafa. O pescoço auxilia o inseto na construção de ninhos.

A lagartixa da espécie Uroplatus phantasticus tem uma cauda parecida com uma folha para se camuflar na floresta. Conhecida como lagartixa satânica, ela só é encontrada em florestas não perturbadas porque é muito sensível à destruição do habitat.

A Tartaruga-de-casco-mole é uma espécie que, além de não ter o caso rígido, usa o nariz comprido para respirar quando fica sem fôlego. Assim, ela não precisa tirar a cabeça da água e fica mais protegida contra os predadores.

O Macaco-narigudo vive em mangues em Bernéu, uma ilha da Ásia. Na época de acasalamento, ele emite um som com seu nariz grande e flexível. Porém, essa espécie corre risco de extinção.

O Pangolim é um mamífero com aspecto de réptil que vive nas zonas tropicais da Ásia e da África. Ele se transforma em uma bola sempre que se sente ameaçado por algum predador.

O Blobfish é um peixe raramente encontrado vivo. Ele vive nas águas profundas do mar da Austrália e da Tasmânia. Sua consistência é gelatinosa e ele tem densidade levemente menor do que a da água.

O dragão-marinho é um animal que se camufla para se salvar dos predadores nos mares do Oceano Índico. As nadadeiras e o seu modo de nadar fazem o animal parecer com um pedaço de alga flutuante.

Imagens do universo – Observatório Europeu faz 50 anos

Imagem feita a partir de 200 horas de exposição mostra a região entre as constelações de Sagitário e Escorpião. A foto é um mosaico feito a partir de 1,2 mil exposições desta área do espaço. Foto: ESO/T. Preibisch

Essa é a nebulosa de Hélix captada por uma câmera astronômica acoplada ao telescópio ESO, no Chile. A cor azulada é resultado da exposição de átomos de oxigênio à radiação ultravioleta de uma estrela e ao calor de seus gases. Foto: ESO

Este rosto fantasmagórico é formado pelo aglomerado estelar NGC 2467 e região ao redor, ao sul da constelação de Puppis. O local é considerado um berçário de estrelas. Foto: ESO

As observações do instrumento FORS2 captaram essa explosão de uma supernova a cerca de 6 mil anos-luz – que teria acontecido no ano de 1054. A cor verde é produzida por hidrogênio, o azul, por elétrons energizados. Foto: ESO

O FORS2 também compôs esta imagem da nebulosa “Cabeça de Cavalo” e suas regiões adjacentes. Para formar a foto acima, três imagens foram fundidas. O telescópio Kuyen funciona em Paranal, no Chile. Foto: ESO

A região NGC 2264 aparece ao lado das “bolhas” azuis do agrupamento estelar conhecido como “Árvore de Natal”. A imagem foi criada com dados obtidos por meio de quatro diferentes filtros do telescópio ESO. Foto: ESO

Esta é a fábrica de estrelas batizada de Nebulosa Trifurcada. O local será berço de novas estrelas no futuro. A imagem foi capturada no observatório de La Silla, no Chile. Foto: EPA/ESO

Este é o sul da região conhecida pelos cientistas como N44 H II, localizada na Grande Nuvem de Magalhães; a cor verde indica a existência de altas temperaturas. Foto: ESO

A galáxia espiral NGC 253 fica a 13 milhões de anos-luz da Terra. Esta imagem foi capturada um instrumento do telescópio de La Silla, no Chile. Foto: ESO

O panorama espetacular mostra as imediações da estrela Wolf-Rayet, WR 22, na nebulosa de Carina (dir.) e da estrela Eta Carinae (esq.). A imagem também foi composta a partir de La Silla, no Chile. Foto: ESO

Observações desta galáxia, a NGC 4945, indicam que ela é bastante parecida com a Via Láctea, com seus braços espirais luminosos e um centro em forma de barra. Os locais em rosa claro são onde nascem novas estrelas. No centro, provavelmente, se encontra um enorme buraco negro. A NGC 4945 fica na constelação de Centauro, a 13 milhões de anos-luz. Foto: ESO

Esta imagem espetacular da galáxia NGC 1232 foi capturada em 21 de setembro de 1998, durante um período de boas condições de observação. Na área central estão estrelas mais velhas, enquanto os braços do espiral contêm estrelas novas, de cor azulada, além de berçários. Foto: ESO