DESCOBRIRAM UMA NOVA ESPÉCIE DE SAPO — E A CRIATURA É PRA LÁ DE INCOMUM

Apesar de não existirem muitos pedaços de terra no planeta que não foram tocados pelo homem, ainda há muita coisa curiosa por ser descoberta neste mundão lindo em que vivemos! Pois é, caro leitor, embora a Ciência tenha identificado e descrito milhares e milhares de espécies animais e vegetais, é com bastante frequência que os pesquisadores se deparam com exemplares desconhecidos — e bastante curiosos.

Um deles foi descoberto recentemente aqui na América do Sul, na Cordillera del Cóndor — um cantinho pouco explorado dos Andes —, por pesquisadores da Universidade Católica do Equador e consiste em um sapo que, de acordo com Tom Hale, do site IFLScience!, apresenta uma série de características pra lá de inusitadas.

Criatura incomum

Para começar, não foi à toa que a criatura permaneceu “incógnita” por tanto tempo: além de o sapo habitar uma região remota e de difícil acesso — os cientistas percorreram trilhas íngremes e acidentadas durante 2 dias para chegar ao cume da cordilheira! —, apresenta coloração marrom-esverdeada que o torna um verdadeiro mestre da camuflagem no ambiente em que habita.

A criatura pertence à espécie Hyloscirtus hillisi e, segundo os pesquisadores, além de ficar oculta entre a vegetação, conta com “perninhas” compridas e finas, olhos cor de bronze e pintinhas amarelas pelo corpo. No entanto, a característica mais curiosa é uma espécie de garra situada na base do “polegar” do sapo.

Conforme explicaram os cientistas, essa estrutura é relativamente grande — considerando o tamanho do animal —, tem aparência de gancho, e sua função exata é desconhecida. A equipe precisará realizar uma série de estudos para confirmar a utilidade da garrinha, mas uma suspeita é a de que ela sirva para afugentar possíveis predadores ou, ainda, que consista em uma espécie de “espora” que os machos usam durante disputas por parceiros para acasalamento.

Pena que essa estrutura, ao que tudo indica, não seja assim tão eficiente, uma vez que ela não garante proteção contra ameaças maiores… Isso porque, apesar de o novo sapo pertencer a um gênero que contém 37 espécies — distribuídas por várias áreas da América do Sul e Central, incluindo o Equador, a Costa Rica, a Bolívia, a Colômbia, a Venezuela e o Peru —, seu habitat é bastante limitado, e poucos exemplares foram encontrados, sugerindo que a população não é muito numerosa. Para piorar, uma companhia chinesa de mineração se instalou nas proximidades da área ocupada pelos anfíbios, representando um sério risco à sobrevivência desses animais.

Deixe um Comentário

0 Comentários.

Deixe um Comentário

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Please type the characters of this captcha image in the input box

NOTA - Você pode usar estesHTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>