Arquivos de Categorias: Sapo

DESCOBRIRAM UMA NOVA ESPÉCIE DE SAPO — E A CRIATURA É PRA LÁ DE INCOMUM

Apesar de não existirem muitos pedaços de terra no planeta que não foram tocados pelo homem, ainda há muita coisa curiosa por ser descoberta neste mundão lindo em que vivemos! Pois é, caro leitor, embora a Ciência tenha identificado e descrito milhares e milhares de espécies animais e vegetais, é com bastante frequência que os pesquisadores se deparam com exemplares desconhecidos — e bastante curiosos.

Um deles foi descoberto recentemente aqui na América do Sul, na Cordillera del Cóndor — um cantinho pouco explorado dos Andes —, por pesquisadores da Universidade Católica do Equador e consiste em um sapo que, de acordo com Tom Hale, do site IFLScience!, apresenta uma série de características pra lá de inusitadas.

Criatura incomum

Para começar, não foi à toa que a criatura permaneceu “incógnita” por tanto tempo: além de o sapo habitar uma região remota e de difícil acesso — os cientistas percorreram trilhas íngremes e acidentadas durante 2 dias para chegar ao cume da cordilheira! —, apresenta coloração marrom-esverdeada que o torna um verdadeiro mestre da camuflagem no ambiente em que habita.

A criatura pertence à espécie Hyloscirtus hillisi e, segundo os pesquisadores, além de ficar oculta entre a vegetação, conta com “perninhas” compridas e finas, olhos cor de bronze e pintinhas amarelas pelo corpo. No entanto, a característica mais curiosa é uma espécie de garra situada na base do “polegar” do sapo.

Conforme explicaram os cientistas, essa estrutura é relativamente grande — considerando o tamanho do animal —, tem aparência de gancho, e sua função exata é desconhecida. A equipe precisará realizar uma série de estudos para confirmar a utilidade da garrinha, mas uma suspeita é a de que ela sirva para afugentar possíveis predadores ou, ainda, que consista em uma espécie de “espora” que os machos usam durante disputas por parceiros para acasalamento.

Pena que essa estrutura, ao que tudo indica, não seja assim tão eficiente, uma vez que ela não garante proteção contra ameaças maiores… Isso porque, apesar de o novo sapo pertencer a um gênero que contém 37 espécies — distribuídas por várias áreas da América do Sul e Central, incluindo o Equador, a Costa Rica, a Bolívia, a Colômbia, a Venezuela e o Peru —, seu habitat é bastante limitado, e poucos exemplares foram encontrados, sugerindo que a população não é muito numerosa. Para piorar, uma companhia chinesa de mineração se instalou nas proximidades da área ocupada pelos anfíbios, representando um sério risco à sobrevivência desses animais.

Bela foto de uma Râ dormindo

foto-imagem-râ

Nem mesmo uma lente de câmera intruso poderia perturbar este anfíbio pequeno. Seu membro tiro Mihir Ranjan Aconteceu este sapo dormir apego vermelho para uma folha perto de sua cidade natal de Chaibasa em Jharkhand, na Índia.

Fotos da natureza e animais em raio X

Após se aposentar, o físico holandês Arie van’t Riet decidiu transformar seu passatempo em arte. Ele cria imagens a partir de radiografias de animais e plantas.Natural da pequena cidade de Bathmen, no leste da Holanda, van’t Riet começou a fazer raios X de flores quando dava aulas sobre o funcionamento da máquina.Desde então, a coleção de imagens do físico aumentou e passou a incluir não só outras plantas, como também pássaros, peixes e macacos.

“Quero que o meu trabalho sirva para destacar a beleza incrível da natureza e espero que as pessoas possam valorizar mais a natureza depois de ver essas imagens”, disse.

foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx foto-imagem-animais-raiosx

Fotos de animais camuflados – Veja 10 animais que sabem ficar invisíveis

A lei da natureza é clara: os mais fortes sobrevivem. Entretanto, alguns animais conseguem burlar essa máxima. Sabendo que são frágeis e não sobreviveriam se confrontados por espécies predadoras, eles desenvolveram a capacidade do mimetismo.

Com o passar dos anos, sapos, corujas e insetos, dentre outros, dominaram a habilidade de se camuflar em ambientes que têm as mesmas cores e formatos que seus corpos.Os fotógrafos profissionais e amadores também possuem uma característica especial: eles enxergam arte nos detalhes da vida e da natureza. Assim, muitos deles saem em uma busca minuciosa por esses animais que se escondem tão bem e criam imagens intrigantes e encantadoras.

Um deles é o turco Mehmet Karaca, que flagrou uma borboleta e um camaleão usando suas padronagens parecidas para se camuflarem juntos, na mesma planta.

No fim das contas, os mais espertos sobrevivem. Tanto que muitos predadores aprenderam o mimetismo para capturar suas presas desavisadas. De uma forma ou de outra, nós é que saímos ganhando com a bela sequência de fotos que você vê abaixo. Confira!

Borboleta e camaleão se camuflam juntos

animais-camuflados-borboleta-camaleao-foto-imagem

Aranha do deserto

animais-camuflados-aranha-do-deserto-foto-imagem

 

Camaleão

 

animais-camuflados-camaleao-foto-imagem

 

Siri

animais-camuflados-siri-foto-imagem

 

Lagópode-escocês, espécie de galináceo

animais-camuflados-lagopode-escoces-galinaceo-foto-imagem

 

Coruja

animais-camuflados-coruja-foto-imagem

 

Lagarta Baron

animais-camuflados-lagarta-foto-imagem

 

Sapo

animais-camuflados-sapo-foto-imagem

 

Urutau-grande, espécie de pássaro

animais-camuflados-urutau-grande-passaro-foto-imagem

 

Bicho-pau

animais-camuflados-bicho-pau-foto-imagem

Top 5 de novas espécies

foto-imagem-Lucihormetica-luckae 

Esta é a ‘Lucihormetica luckae’, uma espécie de barata descoberta no Equador. Desde a primeira descoberta de uma barata fluorescente em 1999, mais de uma dezena de espécies já foram encontradas. Todas estão em áreas remotas. Esta é uma das novas espécies anunciadas pelo Instituto Internacional para a Exploração de Espécies da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos.

foto-imagem-eugenia-petrikensis

 

Esta nova espécie, ‘Eugenia petrikensis’, é um arbusto que pode alcançar até dois metros, com folhagem verde esmeralda, ligeiramente brilhante e cachos de pequenas flores magenta. É uma das sete novas variedades descritas em um bosque litoral leste de Madagascar e é considerada em risco de extinção.

foto-imagem-lesula-monkey

 

Descoberto na bacia do rio Lomami, na República Democrática do Congo, o lesula (acima) é muito conhecido dos nativos, mas, até agora, era desconhecido para os cientistas. Esta é a segunda espécie de macaco descoberta na África nos últimos 28 anos.

foto-imagem-mine-snake

 

Esta falsa coral, a ‘Sibon noalamina’, foi descoberta nos bosques tropicais das terras altas do oeste do Panamá. Tem hábitos noturnos e caça presas como minhocas. ovos de anfíbios, caracóis e lesmas.

foto-imagem-paedophryne

 

Esta pequena nova espécie de rã tem apenas sete milímetros e estabeleceu o recorde de menor espécie de vertebrados do mundo. Foi descoberta em Papua Nova Guiné.

Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano: Museu de História Natural de Londres expõe tesouros de concurso de fotos

Esta imagem, intitulada “Cruzamento Zebra”, foi feita na Tanzânia pela fotógrafa britânica Anup Shah. O objetivo dela era mostrar como as formigas veem os animais.

Edwin Giesbers enfrentou uma forte chuva quando decidiu fotografar cogumelos próximos à sua casa, na Holanda. “Eu percebi este cogumelo e depois vi que havia um sapo”, conta ele. “Eu me aproximei muito lentamente e usei uma velocidade baixa da câmera para mostrar a chuva.”

Este elefante asiático estava tomando um banho quando o fotógrafo americano Jeff Yonover o flagrou. Yonover conseguiu retratar o exato momento em que a tromba do elefante funcionou como um “snorkel”.

Rinocerontes pretos, uma espécie ameaçada de extinção, são criaturas solitárias, segundo o fotógrafo sul-africano Wynand du Plessis. Mas na Namíbia, ele encontrou vários rinocerontes do tipo que se relacionavam bem entre si e com outros animais.

O cadáver de uma baleia-cinzenta atraiu esta multidão inusitada no Alasca. Ursos polares costumam ser solitários e caçam sobre o mar congelado. Mas este grupo flagrado pelo fotógrafo americano Howie Garber contem vários machos, pelo menos uma fêmea e alguns filhotes.

Estes peixes estão comendo algas e parasitas da casca e da pele de uma tartaruga. A foto foi tirada por Andre Seale, que capturou as imagens no Havaí. Este comportamento ajuda tanto a tartaruga a ficar mais limpa e saudável, como fornece refeição aos peixes.

O Museu de História Natural de Londres selecionou algumas das melhores imagens do seu tradicional concurso Wildlife Photographer of the Year (Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano), que existe desde 1964. A competição premia fotógrafos que retratam a natureza.

No total, 80 fotos estão sendo exibidas em uma mostra do museu intitulada Wild Planet (Planeta Selvagem). Todas as imagens, que foram selecionadas pelo zoólogo Chris Packham, foram premiadas em edições passadas do concurso.

A exposição no prédio do Museu abriu na sexta-feira passada e ficará em cartaz até o final de setembro. As legendas das fotos trazem uma breve explicação sobre como os fotógrafos fizeram para capturar as imagens.