Arquivos de Categorias: 3D

DESIGNER USA IMPRESSORA 3D PARA CRIAR UMA ARMADURA PARA O SEU GATO

Os gatos estão fazendo parte da vida dos brasileiros cada vez mais, e, nós, do Mega Curioso, já mostramos aqui uma seleção de dispositivos que foram criados especialmente para facilitar a vida deles e dos seus amigos humanos. Dessa vez, nós vamos falar sobre uma invenção do Jwall — um designer que mantém no YouTube um canal com dicas e tutoriais sobre impressão 3D chamado “Print That Thing”.

Entre as suas criações mais populares está uma armadura que ele fez para o seu gato de estimação, o Bobo. A primeira etapa, segundo o autor, foi projetar a aparência da peça: ele queria que ela tivesse pontas na parte superior e contasse com um espaço para colocar uma coleira com uma etiqueta de identificação na região do peitoral.

Depois que o conceito da armadura foi finalmente definido, Jwall partiu para a última e mais complexa etapa: materializar, com a ajuda de uma impressora 3D, a armadura estilosa do seu bichano. A seguir, você confere imagens da peça que ele elaborou e vê como ela ficou ao ser colocada no animal:

7 MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO SE FOSSEM CONSTRUÍDAS HOJE

Sabe as 7 Maravilhas do Mundo Antigo, né? Só para refrescar a sua memória, elas são o Mausoléu de Helicarnasso e o Templo de Ártemis, ambos construídos em Éfeso, atual Turquia, o Colosso de Rodhes, erguido na Ásia Menor, os Jardins Suspensos da Babilônia, que ficavam no território que hoje corresponde ao Iraque, a Grande Pirâmide de Gizé e o Farol de Alexandria, ambos no Egito, e a Estátua de Zeus, que foi esculpida na Grécia – e dessas obras espetaculares todas, a única que sobreviveu mais ou menos intacta à passagem dos milênios foi a Grande Pirâmide de Gizé.

Das demais maravilhas arquitetônicas e artísticas construídas na Antiguidade, sobraram apenas registros históricos ou ruínas e, embora permaneça pé – e continue firme e forte –, nem mesmo a Pirâmide manteve a majestosa beleza original. Pois se você, assim como nós aqui do Mega Curioso, adoraria ver como essas construções eram em suas épocas áureas, então você vai curtir as reconstruções digitais que reunimos logo mais e que revelam as 7 Maravilhas do Mundo Antigo em todo o seu esplendor.

Reconstruindo o passado

As imagens foram desenvolvidas a pedido do pessoal da Budget Direct, uma companhia de seguros australiana, e não consistem em simples reconstruções aleatórias. Na verdade, um time de pesquisadores foi atrás de registros históricos, levantamentos arqueológicos, descrições deixadas por historiadores da Antiguidade, informações sobre materiais utilizados, medições etc. e, basicamente, colheu todo tipo de informação a respeito das construções.

Depois, a equipe encaminhou o material acumulado a um par de designers da área de arquitetura – que usaram os dados para criar versões tridimensionais das obras como se elas ainda existissem em sua forma original nos locais onde foram construídas. O resultado de todo esse trabalho, como você poderá ver a seguir, é muito, muito bacana, já que, além de se tratar de reconstruções que tentam mostrar a aparência das Maravilhas do Mundo Antigo da forma mais próxima da realidade possível, as imagens trazem de volta à vida, ainda que digitalmente, estruturas que, com exceção da Grande Pirâmide, não existem mais. Confira!

1 – O Mausoléu de Halicarnasso

O Mausoléu de Halicarnasso foi uma tumba construída para abrigar o corpo de Mausolus – daí a origem do nome desse tipo de estrutura –, sujeito que foi governador da província de Helicarnasso, na atual Turquia, durante o Primeiro Império Persa. O edifício foi projetado por arquitetos gregos e erguido entre os anos de 353 e 350 a.C. a pedido da viúva (e irmã do homem), Artemisia II de Cária, e tinha por volta de 45 metros de altura, mas acabou ruindo por conta de vários terremotos que ocorreram entre os séculos 12 e 15.

2 – O Templo de Ártemis em Éfeso

É uma verdadeira proeza que ainda restem ruínas do Templo de Ártemis em Éfeso, uma vez que o edifício não foi destruído uma, nem duas, mas 3 vezes no intervalo de 7 séculos! Construído no século 6 a.C., o santuário contava com 127 colunas de mármore, com 20 metros de altura cada uma, e a primeira destruição se deu 200 anos após a sua inauguração, por conta de um incêndio provocado por cara chamado Herostratus. O templo foi reconstruído por ninguém menos que Alexandre, o Grande, mas atacado novamente pelos Góticos, e a última destruição ocorreu pelas mãos dos cristãos que invadiram a região. Para piorar, o local foi atingido por diversos terremotos ao longo dos anos, e hoje só existe uma coluna ainda em pé.

3 – A Estátua de Zeus em Olímpia

Pense em uma estátua majestosa, medindo entre 10 e 15 metros de altura, coberta com painéis de ouro e placas feitas de marfim. Assim era a Estátua de Zeus em Olímpia, esculpida no interior do Templo de Zeus no ano de 435 a.C. A obra não existe mais, mas não pense que ela foi desmantelada e os materiais preciosos que a embelezavam roubados! A estrutura central era feita de madeira e, infelizmente, foi completamente destruída durante um incêndio que atingiu o santuário no século 5.

4 – Os Jardins Suspensos da Babilônia

Embora existam relatos históricos sobre os famosos Jardins Suspensos da Babilônia, até hoje a sua localização exata e existência é debatida, uma vez que ninguém conseguiu encontrar vestígios arqueológicos que respondam a essas questões. Independentemente de que eles tenham sido reais ou não, segundo os registros, a estrutura foi construída em algum lugar do que hoje é o Iraque e que consistia em uma série de terraços de pedra cobertos de plantas construídos de forma a parecerem montanhas.

5 – O Colosso de Rhodes

Imagine avistar uma imensa estátua de bronze na entrada de um porto – e ter que passar debaixo dela para poder ancorar. Esse era o Colosso de Rodes, que tinha 32 metros de altura e ficava sobre dois pedestais de 15 m cada. A obra foi erguida para celebrar a vitória durante o cerco a Rhodes, entre os anos de 305 e 304 a.C., e acabou ruindo em decorrência de um terremoto que atingiu a região em 226 a.C.

6 – A Grande Pirâmide de Gizé

Engraçado como a estrutura mais antiga da lista das 7 Maravilhas do Mundo Antigo é a única que sobreviveu mais ou menos intacta. A construção da Grande Pirâmide de Gizé foi concluída por volta do ano de 2,6 mil a.C., o que significa que a obra tem mais de 4,5 mil anos, e ela se manteve como edifício mais alto do mundo até o século 14 – quando a Catedral de Lincoln, na Inglaterra, lhe roubou o título.

7 – O Farol de Alexandria

Outra edificação que provavelmente esteve entre as estruturas construídas pelo homem mais altas do mundo foi o Farol de Alexandria, no Egito. Segundo apontam os levantamentos, o prédio provavelmente tinha mais de 130 metros de altura, e foi erguido entre os anos de 284 e 246 a.C. Infelizmente, o farol não sobreviveu à passagem do tempo, e suas ruínas só foram descobertas por arqueólogos no início do século 20.

ARTISTA CRIA VERSÕES ASSUSTADORAS DE PERSONAGENS FAMOSOS

O artista australiano Wil Hughes resolveu dar seu toque particular a personagens famosos que marcaram a infância de muita gente, seja na TV, no cinema, na literatura ou em outras formas de entretenimento.

O diferencial de seus trabalhos, no entanto, é o fato de que eles acabam se transformando em versões sombrias e assustadoras de rostos que já nos são familiares.

Com texturas marcantes e um sombreamento perfeito, Hughes consegue colocar nas imagens que cria um realismo que mexe com os brios de quem encara cada imagem por alguns segundos. Confira o trabalho dele a seguir e depois nos conte o que achou:

Ronald McDonald

Homer Simpson

Rick Sanchez

Lula Molusco

Wally

Krusty, o Palhaço

Bob Esponja

Patrick

Peter Griffin

Morty

Plâncton

Mr. Bean

Arnold

Coragem, o Cão Covarde

Pepe, o Sapo

Maquiagens monstruosas feitas por uma adolescente de 16 anos

foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens foto-imagem-maquiagens

Veja profundidade em uma imagem 2D

Patrick Hughes é um artista britânico responsável pela obra “Superduperperspective”, que está em exposição na galeria de arte Birmingham, na Inglaterra. A pintura, uma ilusão de ótica, está ganhando destaque por forçar o seu olho a ver profundidade em uma imagem 2D.

foto-imagem-2d

Se a pessoa olhar o quadro de frente, verá apenas três corredores comuns. Mas quando o espectador se move para a esquerda ou para a direita, vê a mágica acontecer!

foto-imagem-2dfoto-imagem-2d

No mundo da ilusão ótica, este tipo de fenômeno é conhecido como “reverspective”, um termo inventado por Hughes para se referir a um objeto que parece estar longe, mas, na verdade, está em primeiro plano. Outro exemplo desse tipo de obra é o “Illusion Dragão”, em que o olhar do animal segue o observador ao redor da sala, acompanhando os seus movimentos.

foto-imagem-2DA magia do “reverspective” é que esse tipo de trabalho força o seu olho a ver uma perspectiva que não está lá. Quando as linhas angulares convergem para um ponto de fuga, percebemos a profundidade. Hughes trabalha com as formas e os tamanhos das imagens planas, fazendo com que certas coisas pareçam estar mais longe do que outras.

 

A ilusão de ótica destas fotos vai confundir o seu cérebro

Conheça o trabalho do fotógrafo sueco Erik Johansson que vive e trabalha em Berlim. Erik se destacou profissionalmente graças as suas incríveis fotografiascom ilusão de ótica, que mostram cenas do cotidiano.Parte do seu trabalho consiste na manipulação e combinação de imagens com diferentes e criativos ângulos. Logo abaixo você confere algumas de suas obras que vai certamente confundir a sua mente. Visite o site e as redes sociais do fotógrafo.foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica foto-imagem-ilusao-de-otica

Obras de arte de rua 3D impressionante.

foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d foto-imagem-arte-3d

Grafiteiro português cria impressionantes murais 3D

foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d foto-imagem-grafiteiro-3d

Festival de barro no Mali – O mundo em imagens

Um ensaio sobre um festival celebrado no Mali, em que pessoas rebocam paredes de uma mesquita com camadas de barro, rendeu o prêmio de Fotógrafo de Viagem do Ano 2013 ao britânico Timothy Allen.

Ele também ganhou por seus ensaios com pessoas no País de Gales e Butão.Também foram premiados vários outros fotógrafos, por portfólios ou imagens individuais de temas variados como macacos no Japão, pescadores na Tailândia, vendedores de grãos na Índia e até uma foto feita em Santa Teresa, no Rio de Janeiro.O concurso também premiou as melhores imagens feitas por adolescentes e crianças, de 10 a 17 anos.

131217170250_2013-cultures-win3

Gavin Gough é britânico, mas vive na Tailândia. Ele foi o vencedor na categoria ‘Culturas em Extinção e Emergentes’, com um portfólio sobre um clube de skate de Kolkata, na Índia. 131217170256_2013-mono-ru2

Emmanuel Coupe, da França, foi o vencedor na mesma categoria na sessão Melhor Imagem Única. 131217170258_2013-mono-win1

Na sessão de portfólios, Jino Lee, de Cingapura, foi o vencedor na categoria Monocromáticos por uma série de imagens de um pescador no rio Dong Jiang, na China.  131217170300_2013-newtalent-win5

Na categoria Novos Talentos premiou o estudante de medicina britânico Tom Pepper por um portfólio que visava representar o que poderia ser um dia típico de um visitante em Nova York.  131217170302_2013-oneshot-win

O americano baseado no Vietnã Justin Mott conseguiu o prêmio máximo na categoria de ‘Imagem individual’, que tinha o tema ‘Extraordinário’. 131217170304_2013-tpoty-win4

O concurso de fotografias Travel Photographer of the Year 2013 revelou seus vencedores. O prêmio máximo, o Cutty Sark Award, foi para o fotógrafo britânico Timothy Allen, pela série sobre um festival no qual as pessoas colocam novas camadas de barro em uma mesquita, no Mali. Ele também ganhou por seus ensaios com pessoas no País de Gales e Butão. 131217170406_2013-ytpoty-win1

O prêmio para ‘Jovem Fotógrafo do Ano 2013’ foi para Jonatham Rystrom, de 14 anos, da Dinamarca. 131217170404_2013-ytpoty1815-win4

Chase Guttman, um americano de 17 anos, venceu no grupo entre 15 e 18 anos. Esta é a terceira vez que ele aparece entre os vencedores, já tendo vencido nas categorias 14 anos ou menos e Talento Emergente. 131217170357_2013-wildstories-jwin3

Jasper Doest, da Holanda, e Johnny Haglund, da Noruega, dividiram o prêmio na categoria ‘Histórias Selvagens’, com dois portfólios contrastantes. Doest registra os macacos japoneses no distrito de Shimotakai, no Japão.131217170306_2013-wildstories-bsi-win

Na categoria ‘Histórias Selvagens’, o prêmio para ‘Imagem Individual’ foi para Peter Downing, por esta foto de um martim pescador.

Incrível trabalho de ilusionismo

foto-casa-arteNós já mostramos para você alguns projetos arquitetônicos bastante diferentes, bonitos, curiosos. Porém, a casa que você vai ver a seguir talvez encante tanto a você que seu próximo sonho de consumo pode vir a ser morar em uma casa de madeira com espelho.

Esta obra incrível foi projetada pelo artista Phillip K. Smith III, em Joshua Tree, na Califórnia, EUA. Tudo o que Smith fez foi modificar uma casa de 70 anos, já existente no local, intercalando espelho com as faixas de madeira da construção.

O resultado é simplesmente encantador e, por alguns instantes, você chega a ter a impressão de que a casa foi construída com intervalos vazios entre uma viga e outra. Esse conceito ilusionista é uma das intenções da obra, além, é claro, dos jogos de iluminação, ativados à noite.

Se durante o dia temos a ideia de uma casa “fatiada”, quando escurece a sensação é bem diferente graças às luzes coloridas que emanam do ambiente.

De acordo com Smith, a instalação foi criada para trabalhar questões de luz, sombra e de reflexos, além dos conceitos básicos da singularidade humana no sentido de sentir momentos de isolamento, de paz e de mudanças.

Confira algumas imagens do projeto e depois nos conte o que você achou da ideia:

foto-imagem-arte 377149108295610-t640 377149108295644-t640 377149108295718-t640 377149108295752-t640 37714910829551-t640