Arquivos de Categorias: Inseto

Imagem do maior inseto do mundo – Espécie de bicho-pau foi batizada de Phryganistria chinensis Zhao

inseto-bicho-pau-phryganistria-chinensis-zhao-foto-imagem-maior-do-mundo-museum-of-west-chinajpg

O bicho-pau mede 62,4 cem – Xinhua

inseto-bicho-pau-phryganistria-chinensis-zhao-foto-imagem-maior-do-mundo

Um bicho-pau de 62,4cm encontrado no Sul da China foi reconhecido nesta quinta-feira por cientistas como o maior inseto do mundo, segundo a imprensa estatal daquele país. O pesquisador Zhao Li, do Museu do Inseto do Oeste da China, em Chengdu, descobriu o animal durante uma pesquisa de campo na região de Guangxi Zhuang.

O recorde anterior era de um bicho-pau de “apenas” 56,7cm que foi encontrado na Malásia em 2008 e, hoje, está em exibição no Museu da História Natural de Londres, no Reino Unido.

O novo recordista foi batizado de Phryganistria chinensis Zhao, e já está servindo de base para uma tese cientifica.

Segundo Zhao Li, ele estava procurando o animal há anos. Em 1998, moradores de Guangxi contaram ter visto um “inseto gigante” de meio metro, tão grosso quanto o dedo apontador de um homem. O cientista ficou intrigado, mas só encontrou o animal em 2014, durante uma inspeção numa montanha a 1200 metros de altitude nos arredores da cidade de Liuzhou.

“Eu estava coletando insetos quando uma sombra escura aparecer à distância, parecia o galho de uma árvore. Quando me aproximei, fiquei chocado ao perceber que as patas eram tão longas quanto seu corpo”, lembra-se Zhao Li.

Bichos-pau representam cerca de 3 mil das 807.625 espécies de insetos do mundo descobertas até hoje.

Primeiro animal do sexo feminino com o órgão masculino(pênis) – Inseto fêmea encontrado no Brasil penetra macho

inseto-femea-com-penis-encontrado-no-brasil-imagem-foto

Cientistas japoneses afirmam ter descoberto no Brasil um inseto fêmea com pênis. Esta é a primeira vez que especialistas identificaram um animal do sexo feminino que também carrega o órgão masculino.

Já os machos possuem aberturas como vaginas e são penetrados pela fêmea, que suga esperma e alimento (fluidos seminais nutritivos).

O acasalamento dura de 40 a 70 horas, os pesquisadores relatam na revista Current Biology.

“Apesar da inversão do papel sexual já ter sido identificada em vários animais diferentes, o Neotrogla é o único exemplo em que o órgão sexual também é trocado”, disse o principal autor do estudo, Kazunori Yoshizawa, da Universidade de Hokkaido, no Japão.

Os insetos – de quatro espécies distintas do gênero Neotrogla – foram encontrados em cavernas no leste do Brasil, em Minas Gerais, Bahia e Tocantins. O pênis da fêmea foi apelidado de ‘gynosome‘.

Uma vez dentro de um macho, a parte membranosa do gynosome infla e, com inúmeros espinhos, mantêm os dois insetos grudados.

Quando os pesquisadores tentaram separar o macho da fêmea, o abdômen dele foi arrancado do tórax sem quebrar o acoplamento genital.

A inversão incomum de papéis pode ter sido impulsionada pelo ambiente pobre de recursos em que os animais vivem, especulam os pesquisadores. Neste caso, a fêmea aproveita o acasalamento também para se alimentar.

Esses insetos curiosos oferecem novas oportunidades para testar ideias sobre seleção sexual, conflito entre os sexos, e a evolução dessa novidade.

“Será importante desvendar por que, entre tantos animais com papéis sexuais invertidos, apenas os insetos Neotrogla desenvolveram um pênis feminino elaborado”, disse Yoshitaka Kamimura, da Universidade de Keio, no Japão.

A primeira tarefa dos cientistas agora será estabelecer uma população saudável desses insetos em laboratório.

Imagens microscópicas mostram insetos vampiros

Conheça os insetos vampiros. Graças à microfotografia, é possível ver os detalhes destes bichos que se alimentam de sangue. Esta mosca listrada (Tabanus lineola) é encontrada em partes dos Estados Unidos e no Golfo do México. Nesta espécie, a fêmea é quem pica. Os machos são inofensivos. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

Este carrapato está de barriga cheia depois de se alimentar de uma ovelha. Para se conseguir este nível de detalhamento, foi feita uma foto eletrônica colorida digitalmente. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

A fotografia captou um momento íntimo, quando dois percevejos-de-cama acasalavam. Eles se alimentam de sangue humano e causam machucados na pele e reações alérgicas. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

O nome impõe medo. O chamado “inseto assassino” se encontra em várias partes do mundo e tem uma picada dolorosa. Ele injeta a saliva em suas presas. O líquido corrói os tecidos, mata a presa e faz uma pré-digestão, antes de o inseto de alimentar. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

A mosca tsé-tsé (Glossina fuscipes fuscipes) é encontrada na África tropical. O sangue perdido é o menor dos males. Ela transmite a doença do sono, enfermidade que pode ser fatal. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

Vista tão de perto, esta pulga parece ameaçadora, mas ela não ataca humanos, prefere o sangue do morcego-anão. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

Conhecido como mosquito tigre, o Aedes albopictus é responsável por várias doenças, entre elas dengue, febre amarela e o vírus do oeste do Nilo. Originário das áreas tropicais e subtropicais da Asia, este inseto se espalhou por vários países do mundo. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

A foto mostra uma pulga de areia macho na pele do seu hospedeiro. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

O piolho-caranguejo infesta os seres humanos e se alimenta exclusivamente de sangue. Também é conhecido por piolho-da-púbis, por conta da região em que costuma se hospedar. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

Esta foto captou o momento exato em que um mosquito se alimenta de sangue humano. (Foto: SPL / Barcroft Media /Sinclair Stammers)

Concurso “National Geographic” – Foto de uma libélula vence na categoria Natureza

Esta imagem de uma libélula foi a vencedora do Grande Prêmio e da categoria Natureza do Concurso Fotográfico de 2011 da revista National Geographic. A foto foi feita nas Ilhas Riau, na Indonésia. “Quando me preparei para fazer a foto dela, começou a chover. Decidi tirar a foto assim mesmo”, disse o fotógrafo, Shikhei Goh.