Arquivos de Categorias: Animais

Os finalistas do prêmio de Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano

O Museu de História Natural de Londres anunciou nesta semana os finalistas do prêmio de melhor fotógrafo de vida selvagem do ano, o Wildlife Photographer of the Year.

Os finalistas da competição foram selecionados entre 50 mil fotos. Os vencedores serão anunciados no dia 17 de outubro. Abaixo, uma seleção de alguns finalistas.

Essa imagem do fotógrafo francês Laurent Ballesta mostra uma jovem foca sendo levada por sua mãe para as águas geladas da Antártida. Essa espécie dá a luz sobre o gelo e leva os filhotes para nadar depois de uma semana ou duas. Focas adultas são ótimas mergulhadoras, sobrevivendo submersas por até 82 minutos e alcançando profundidas de até 600 metros.

O fotógrafo russo Sergey Gorshkov retratou uma raposa-do-ártico carregando um precioso ovo de ganso-das-neves após atacar um ninho. Grandes bandos dos pássaros migram para a tundra no fim de maio, vindo de lugares tão distantes quanto a Califórnia. Em 2016, a região leste da Rússia chegou a reunir 300 mil gansos-das-neves. Embora os casais de pássaros protejam seus ninhos, as raposas conseguem roubar até 40 ovos por dia, atacando os gansos até que haja uma oportunidade de roubar um ovo.

As raposas então enterram seus prêmios, que permanecem comestíveis até o fim do verão. Quando uma nova geração de jovens raposas começa a explorar a região, elas também se beneficiam desses tesouros enterrados.

O fotógrafo Andrey Narchuk queria fotografar um salmão na Rússia, mas acabou batendo essa foto de dois gymnosomatas (espécie de molusco aquático, parente das lesmas-marinhas) cruzando.

Essa água-americana – ave símbolo dos EUA – foi fotografada pelo fotógrafo alemão Klaus Nigge no Alasca.

Depois da vários dias de chuva constante, a ave de rapina estava encharcada. Acostumadas com pessoas, as aves são atrevidas. “Eu deitava na praia e era rodeado pela águias”, diz Klaus.

Steve Winter fez essa imagem de um filhote de tigre ferido na ilha de Sumatra, na Indonésia. Com seis meses de idade, o animal foi resgatado de uma armadilha ilegal. Enjaulado, ele tenta soltar um rugido dentro de sua jaula.

Esse filhote de urso-pardo abraça sua mãe em uma cena capturada em uma reserva no Alasca pela jovem fotógrafa Ashleigh Scully.

Depois de pescar na maré baixa, a mãe ursa estava levando os filhotes de volta a um campo perto da praia. Um dos jovens ursos, no entanto, queria ficar brincando.

O fotógrafo israelense Tyohar Kastiel passou uma semana observando um casal de pássaros da espécie quetzal-resplandecente alimentarem seus filhotes para conseguir fazer essa foto.

No oitavo dia, os pais demoraram muito para voltar, e o fotógrafo ficou preocupado. Então o macho e a fêmea voltaram com abacates. Mas, em vez de darem para os filhotes, deixaram em um galho próximo. Os pequenos então saíram do ninho para comer sozinhos.

Cavalos-marinhos pegam carona nas correntezas marítimas se agarrando em algas e outros objetos marinhos. Mas o fotógrafo Justin Hofman flagrou esse minúsculo animal se agarrando a um cotonete quando uma correnteza repleta de lixo plástico chegou a um recife na Indonésia.

O fotógrafo Mats Andersson caminha todos os dias pela floresta próxima à sua casa, no sul da Suécia. Em uma manhã fria de fevereiro, ele fez esse retrato de um esquilo-vermelho fechando os olhos por um segundo, para depois voltar a procurar por comida.

Este gorila enlouquecendo dentro de uma piscina vai alegrar o seu dia

Pense em um animal feliz! Mas muito, muito feliz mesmo! Esse é Zola, o gorila que você vai ter o prazer de assistir no vídeo a seguir — onde ele aparece enlouquecendo enquanto brinca em uma simples piscina. Dê só uma olhada:

Alegria pura, não é mesmo? Mas, afinal, o que está acontecendo no vídeo acima? O gorila está mesmo feliz da vida ou apresentando algum tipo de comportamento estranho? E o que, afinal, ele está fazendo naquela piscina?

Momento de relax

De acordo com Noel Kirkpatrick, do site Mother Nature Network, Zola vive no Zoológico de Dallas, nos EUA, e foi flagrado curtindo horrores durante o que os especialistas do local chamam de “período de enriquecimento”. Esse período, segundo Noel, consiste em um tempinho que o pessoal do zoológico foca na estimulação física e mental para encorajar e estimular os animais a demonstrarem comportamentos naturais.

Pois Zola estava no meio de sua sessão quando, para a alegria dos cuidadores, começou a brincar com a água e a rodopiar feliz da vida na piscina. Então, respondendo às perguntas que fizemos anteriormente, não se trata de nenhum comportamento estranho — muito menos negativo. O gorila está simplesmente relaxando e tirando o máximo proveito de seu “período de enriquecimento”.

Fotos de animais descontraído

Não só de imagens bonitas e fofinhas da natureza vivem os concursos fotográficos: todos os anos, o Comedy Wildlife Photography Awards elege as cenas mais engraçadas e inusitadas da vida selvagem. A premiação, idealizada pelo fotógrafo Paul Joynson-Hicks, tem como objetivo principal incentivar a preservação da fauna terrestre de uma maneira divertida.

Cortes modernos para o seu cão – Sequencia de fotografias mostra cachorros antes e depois de receber aquele trato nos pelos

Grace Chon é uma fotógrafa especialista em animais, capaz de criar séries super fofas e divertidas através dos registros.

Essa sua sequencia de fotos mostra cãezinhos antes e depois de receberem um corte super moderno nos pelos. Olha só:

Periquito com óculos de proteção voa entre lasers em nome da ciência

foto-imagem-periquito

Se você já entrou em um laboratório ou pelo menos viu alguns filmes em que cientistas atuam em seu “habitat natural”, sabe que a segurança é uma das principais preocupações nesses ambientes. Do mesmo modo que os humanos precisam de equipamento de proteção, alguns animais que são objetos de estudo científico também recebem alguns acessórios para garantir a sua integridade. É o caso de um simpático pássaro que ganhou um par especial de óculos para voar no meio de feixes de laser.

Calma não se trata de algum tipo de “Jogos Mortais” com aves ou uma trama maluca de sci-fi, mas sim de um estudo conduzido pela Universidade de Stanford para descobrir como realmente funcionam os padrões de voos do mundo animal. Para levar o projeto adiante, os pesquisadores escalaram o periquito Obi como astro da vez, fazendo com que o bichinho batesse suas asas para circular entre diferentes pontos da sala, com toda a ação sendo registrada por câmeras de alta velocidade que permitiram registrar cada momento do passeio.

foto-imagem-periquito

Para viabilizar a empreitada e criar o ambiente perfeito para os cliques, o local foi pulverizado com uma nevoa fina iluminada por lasers. Com um esquema como esse, as chances eram de que qualquer erro poderia comprometer a visão do passarinho. O jeito encontrado para remediar a situação? Utilizar uma impressora 3D para criar óculos de proteção personalizados para o periquito, claro! Além de deixar Obi extremamente estiloso, o brinquedinho de lentes avermelhadas eliminava qualquer efeito colateral do laser em seus olhos.

“Nós nunca andaríamos no meio de um monte de lasers sem qualquer tipo de proteção. Então, tivemos que realmente pensar em como proteger o pássaro”, explicou David Lentink, um dos professores responsáveis pelo estudo. No fim, o que os cientistas descobriram além do fato de os periquitos ficarem ainda mais bonitos com óculos? Basicamente que boa parte dos modelos de voo utilizado até hoje estão equivocados e que, no mundo real, a movimentação das aves é bem mais complexa do que as fórmulas matemáticas indicam.

A ideia de Lentink e de sua equipe é que, a partir dos dados coletados com Obi, seja possível desenvolver equações mais precisas, que, futuramente, podem acabar viabilizando a construção de asas robóticas consideravelmente mais eficientes e avançadas. Será que os robôs voadores também vão contar com um par de óculos como o do periquito?

Animais que você não vai acreditar que existem

Macaco cinzento de nariz arrebitado

A lém do nome curioso, essa espécie de macaco é marcada por uma curiosidade triste: nos dias de chuva, o Rhinopithecus brelichi espirra muito, o que o torna um alvo fácil para caçadores.

foto-imagem-animais-estranhos

foto-imagem-animais-estranhos

Nariz de tamanduá

Correndo grande risco de extinção, a Saiga, espécie de antílope, é original da zona de estepes da Eurásia.

foto-imagem-animais-estranhos

Peixe-machadinha

Apesar do rosto assustador, esse peixe mede no máximo 12 cm e é totalmente inofensivo.

foto-imagem-animais-estranhos

Cervo vampiro

Pequeno cervo, o hidrópote, ou veado-d’água-chinês, possui caninos tão grandes que ultrapassam o maxilar inferior.

foto-imagem-animais-estranhos

 

Abutre barbudo

Originário das montanhas da Europa, Ásia e África, o Gypaetus barbatus se alimenta quase exclusivamente de ossos, que engole inteiros ou atira no chão durante o voo para chegar à medula óssea.

foto-imagem-animais-estranhos

Mini-helicóptero

Parente das cigarras e dos gafanhotos, o Bocydium globulare vive em terras brasileiras.

foto-imagem-animais-estranhos

Lula com dentes humanos

Fique tranquilo! Isso que você vê não são dentes, mas sim os “lábios” dessa lula rara, chamada Promachoteuthis sulcus.

foto-imagem-animais-estranhos

Morcego nariz de tubo

Encontrado nas Filipinas, esse animal também é conhecido como “Morcego Yoda”. Infelizmente, essa espécie também corre risco de extinção.

foto-imagem-animais-estranhos

Quem vê cara não vê coração

Assim como seu colega peixe-machadinha, o peixe-lobo pode até ter cara de quem apareceria em um filme de terror, mas ele não é feroz. Porém, o tamanho assusta: pode chegar a 5 metros e 40 kg!

foto-imagem-animais-estranhos

Pipa pipa

Presente na América do Sul, a fêmea desse curioso sapo incuba os ovos nas costas.

foto-imagem-animais-estranhos

Lindinho, de boca fechada!

Conhecido como Sarcastic fringehead, o Neoclinus blanchardi é muito territorialista. Se alguém se aproxima,ele já abre uma boca enorme para mostrar que não está de brincadeira!

foto-imagem-animais-estranhos foto-imagem-animais-estranhos

 

Imagens intrigantes que desafiam a compreensão humana

foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia foto-imagem-do-dia

Entre dois mundos, registros impressionantes entre a água e o ar

Alguns profissionais são especialistas em registrar imagens embaixo da água, outros preferem terra firme. Porém, há os que gostam de se aventurar entre a linha que divide o mar e o ar. Um dos truques para tirar fotografias como essas é encontrar coisas atrativas tanto dentro da água quanto fora.

Além disso, é preciso que existam boas condições de visibilidade, com muita luz. Aí, é só escolher o seu ponto de foco, usar uma pequena abertura e uma alta velocidade no obturador!

Você está pronto? Confira os resultados:

foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos foto-imagem-entre-dois-mundos

Foto do dia

foto-imagem-ave

Quietude no Potomac

“Sun raios brilho na névoa”, observa seu membro do tiro Guillermo Olaizola, em torno de uma garça-real que está ainda acima e em contraste com-a turva do rio Potomac em Great Falls Park. As aves são uma visão comum nos 800 acres parque Virginia, um popular local de observação de aves.

 

Cenas épicas que só existiram por 1 segundo

foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas foto-imagem-cenas