ESQUI DE PRIMAVERA

Os esquiadores do corta-mato entrecruzam-se através da neve nos alpes italianos. A temporada de esqui nos Alpes pode ir do início do outono até o final da primavera.

O MELHOR AMIGO DO HOMEM

A feira de camelos de Pushkar, na Índia, atrai aproximadamente 200.000 visitantes todos os anos. Aqui, um homem compartilha um momento de ternura com um de seus camelos.

REUTILIZAR, RECICLAR

Um coletor de lixo em Dhaka, Bangladesh, reúne caixas de frutas de plástico descartadas com planos de revendê-las. Recentemente, o Índice de Qualidade do Ar dos EUA classificou Daca, Bangladesh, como a cidade mais poluída do mundo.

Foto do dia

TORNADO CROSSING

O seu fotógrafo Shot e caçador de tempestades, James Hammett, capturaram este tornado atravessando a histórica Lincoln Highway depois que este se formou nos arredores de Laramie, Wyoming. “Ele se intensificou rapidamente, rasgando grama e terra enquanto viajava por campos abertos”, diz ele. Hammett diz que o Serviço Nacional de Meteorologia avaliou a tempestade na EF-3, que é capaz de causar sérios danos.

FOTO DO DIA

AVENUE OF THE BAOBABS
O sol nasce na Avenida dos Baobás em Morondava, Madagascar, onde mais de 200 das majestosas árvores crescem ao longo de uma milha e meia de caminho. Nas cabanas residem artesãos locais que fazem lembranças de madeira para vender aos turistas que visitam este destino popular.

Foto do dia – Camelo na traseira do caminhão

HUMP ​​DAY Seu fotógrafo Matt Pycroft estava fazendo um documentário sobre os beduínos em Wadi Rum, na Jordânia, quando um homem passou com um camelo na traseira de seu caminhão. Matt relata: “‘O que há de errado com ela?’ perguntamos, apontando para o camelo. “Nada”, respondeu ele, rindo. “Vou levá-la para a cidade. Ela tem um encontro.” Ele piscou e sorriu, enrolou a janela e seguiu em frente “.

DRAMA SUBAQUÁTICO – Polvo e seus tentáculos

O fotógrafo da Your Shot, Ian Nelson, estava mergulhando na costa de Maui quando viu uma enguia e começou a segui-la. “A enguia encontrou o que estava procurando e lançou sua cabeça em um buraco escuro e começou a atacar agressivamente”, lembra ele. “Tinta escura saiu e as pernas de polvo começam a sair do buraco. Lá veio um polvo se afastando da enguia bem em direção a minha lente, parando brevemente na minha frente antes de disparar de novo.”

Foto do dia – Pavilhão Dourado, templo zen budista em Kyoto, Japão

PAVILHÃO DOURADOO sol ilumina a folha de ouro que adorna o Kinkaku-ji, um templo zen budista em Kyoto, Japão. Enquanto o site remonta ao século 14, o atual pavilhão foi construído na década de 1950 após o original incendiado.

PRISIONEIRO DE AUSCHWITZ OCULTOU UM SEGREDO POR 70 ANOS

Imagine a surpresa que o pessoal do e Memorial teve ao descobrir que um item que faz parte da coleção da instituição ocultava um segredo há mais de 70 anos! O objeto em questão é uma caneca que pertenceu a um dos muitos judeus que foram enviados ao famoso campo de concentração e, depois de ser radiografado, revelou guardar algo que passou despercebido pelos nazistas — e por todos os demais — durante esse tempo todo! Veja:


De acordo com Camila Domonoske, do site npr, a caneca possui um fundo falso e, sob ele, foram cuidadosamente escondidos um colar de ouro e um anel do mesmo material incrustrado com pedras preciosas. E qual é a história desse fascinante utensílio? Segundo Camila, quando os primeiros prisioneiros começaram a ser enviados aos campos de concentração, eles ouviam dos nazistas que estavam sendo relocados para trabalhar e viver em outras localidades.

Os prisioneiros inclusive tinham permissão de levar alguma bagagem e, acreditando que estavam se mudando para outro lugar, é claro que a grande maioria deles incluía nas malas seus pertences mais valiosos. E era bem isso o que os alemães esperavam que os prisioneiros fizessem — tanto que, quando essas pessoas chegavam a Auschwitz ou a outro campo de extermínio qualquer, todas suas posses eram confiscadas pelos nazistas.

A caneca da coleção é um dos milhares de itens confiscados no campo de concentração e o fato de ela esconder tão bem peças valiosas para a pessoa que as ocultou ali demonstra que quem quer que tenha guardado as joias provavelmente tinha esperança de um dia escapar dos nazistas e recomeçar a vida depois da guerra. E isso é bastante triste, uma vez que a pessoa que teve a caneca confiscada provavelmente está entre os mais de um milhão de pessoas que perderam a vida em Auschwitz.

Por outro lado, não é incrível que, mesmo depois de mais de sete décadas desde que o campo de concentração foi libertado, os historiadores e curadores das coleções ainda descubram relíquias deixadas pelas vítimas?

IMAGENS QUE VOCÊ NÃO VÊ TODO DIA

Filhote de um marlim-azul é a coisa mais fofinha dos mares

A patinha de uma lagartixa vista debaixo

Universidade de Balamand, no Líbano, tem uma escada incrível

Esta árvore sobreviveu ao atentado nuclear em Hiroshima