ARTISTA CRIA VERSÕES ASSUSTADORAS DE PERSONAGENS FAMOSOS

O artista australiano Wil Hughes resolveu dar seu toque particular a personagens famosos que marcaram a infância de muita gente, seja na TV, no cinema, na literatura ou em outras formas de entretenimento.

O diferencial de seus trabalhos, no entanto, é o fato de que eles acabam se transformando em versões sombrias e assustadoras de rostos que já nos são familiares.

Com texturas marcantes e um sombreamento perfeito, Hughes consegue colocar nas imagens que cria um realismo que mexe com os brios de quem encara cada imagem por alguns segundos. Confira o trabalho dele a seguir e depois nos conte o que achou:

Ronald McDonald

Homer Simpson

Rick Sanchez

Lula Molusco

Wally

Krusty, o Palhaço

Bob Esponja

Patrick

Peter Griffin

Morty

Plâncton

Mr. Bean

Arnold

Coragem, o Cão Covarde

Pepe, o Sapo

ZIGUE-ZAGUE? NÃO! AS LINHAS AZUIS SÃO PERFEITAMENTE RETAS, ACREDITA?

Uma das ilusões de óticas mais conhecidas de todos os tempos é a da “parede de café” (o item 7 desta lista), redescoberta em 1973 nos azulejos de uma cafeteria na cidade de Bristol, na Inglaterra. Originalmente, ela data de 1898, quando ainda era chamada de “ilusão do jardim de infância”.

A confusão acontece por causa da forma como os neurônios interagem em nosso cérebro. Diferentes células percebem as cores claras e as escuras; assim, elas acabam entrando em atrito quando imagens muito semelhantes, porém de cores diferentes, são colocadas de forma alinhadas como na imagem em questão.

A mágica e ilusionista Victoria Skye resolveu atualizar essa imagem e criou uma versão 2017 para a tal “ilusão da parede do café”. Para isso, ela acrescentou pequenos quadradinhos divididos em partes brancas e pretas para criar a sua ilusão.

Na figura, temos a impressão que as linhas azuis estão na diagonal, fazendo um verdadeiro zigue-zague, além de terem uma leve curvatura (resultado dos tais quadradinhos). Porém, essas linhas são retinhas e paralelas. Duvida? Então confira a imagem sem alguns de seus elementos:

 

 

Objetos aleatórios que mudaram radicalmente após ganharem olhos

Cansado de viver em uma cidade cinza e sem graça, o artista de rua Vanyu Krastev resolveu colocar um pouco mais de descontração no lugar onde mora, na Bulgária. Ele sai pelas ruas fixando olhos de brinquedos em objetos e construções deterioradas que, à primeira vista, não transmitiriam nada de interessante.

Essa técnica, conhecida como “eyebombing”, consiste basicamente nisso: pregar olhos removíveis em objetos e estruturas do espaço urbano para provocar nos pedestres as reações mais inesperadas. A seguir, você confere como ficaram algumas das divertidas intervenções do artista:

Empresa lança versão luxuosa do Nokia 3310 para homenagear Trump e Putin

A Caviar é uma empresa russa bastante conhecida não por criar seus próprios produtos, mas sim por customizar equipamentos de terceiros, em especial smartphones e outros dispositivos mobile. Agora, a companhia que já trouxe ao mundo o vistoso iPhone 6s Pokémon GO Edition resolveu levar a ousadia a um novo patamar ao criar uma edição megaluxuosa do novo Nokia 3310 homenageando duas figuras bastante polêmicas: Donald Trump e Vladimir Putin.

Sim, a ideia aqui parece ser aproveitar a fama e toda a controvérsia em cima do nome dos presidentes dos EUA e da Rússia para criar um hype poderoso em cima do aparelho. Para criar ainda mais furor e inflamar a opinião pública, a marca resolveu lançar seu Nokia 3310 Putin-Trump Summit durante a reunião do G20 na Alemanha. O encontro começa nesta sexta-feira (7), em Hamburgo, e vai até o sábado, trazendo representantes das principais potências mundiais para debater política e economia ao redor do globo.

Claro que, por tratar de tópicos sensíveis e apresentar figuras bastante polarizadoras do cenário político, o evento atrai protestos, críticos e uma cobertura ampla da mídia. Será que existe uma data melhor para trazer à tona um produto não inusitado? Possivelmente, não! Segundo a Caviar, no entanto, essa versão customizada do feature phone é uma forma de celebrar a aliança entre ambos os presidentes e mostrar que a dupla compartilha um desejo de “progresso para as relações entre EUA e Rússia”.

Sendo assim, o Nokia 3310 temático não economiza em praticamente nenhum aspecto. Para começar, o dispositivo ganhou um corpo em titânio com uma pintura que lembra o padrão encontrado no aço de damasco. O destaque do projeto, no entanto, fica para a parte traseira do gadget, que traz uma moeda comemorativa dourada com a figura dos dois chefes de estado e uma placa registrando a data do encontro. O precinho de toda essa ostentação? Nada menos que US$ 2,5 mil (R$ 8,2 mil) – um valor 50 vezes maior que o do celular original.

Este gorila enlouquecendo dentro de uma piscina vai alegrar o seu dia

Pense em um animal feliz! Mas muito, muito feliz mesmo! Esse é Zola, o gorila que você vai ter o prazer de assistir no vídeo a seguir — onde ele aparece enlouquecendo enquanto brinca em uma simples piscina. Dê só uma olhada:

Alegria pura, não é mesmo? Mas, afinal, o que está acontecendo no vídeo acima? O gorila está mesmo feliz da vida ou apresentando algum tipo de comportamento estranho? E o que, afinal, ele está fazendo naquela piscina?

Momento de relax

De acordo com Noel Kirkpatrick, do site Mother Nature Network, Zola vive no Zoológico de Dallas, nos EUA, e foi flagrado curtindo horrores durante o que os especialistas do local chamam de “período de enriquecimento”. Esse período, segundo Noel, consiste em um tempinho que o pessoal do zoológico foca na estimulação física e mental para encorajar e estimular os animais a demonstrarem comportamentos naturais.

Pois Zola estava no meio de sua sessão quando, para a alegria dos cuidadores, começou a brincar com a água e a rodopiar feliz da vida na piscina. Então, respondendo às perguntas que fizemos anteriormente, não se trata de nenhum comportamento estranho — muito menos negativo. O gorila está simplesmente relaxando e tirando o máximo proveito de seu “período de enriquecimento”.

Mito ou verdade: múmia alienígena é achada no Peru

Na semana passada, um vídeo chamou a atenção da comunidade científica internacional: uma múmia alienígena foi encontrada perto da região de Nazca, no Peru, onde ficam as famosas linhas que ainda são cercadas de muito mistério. “Pera aí, Mega, alienígena?”. Se você se perguntou isso, a gente já adianta que a história é um pouco menos fantasiosa do que jura o site que a divulgou originalmente.

O pessoal do site Gaia garante que é uma fonte de conhecimento livre e independente, mas talvez a veracidade não seja o foco principal. Acontece que a tal múmia, que possui seis dedos alongados nos pés e nas mãos e é coberta por uma espécie de pó branco, pode ser apenas uma farsa criada por um grupo que adora fazer essas pegadinhas.

Segundo eles, estudos de DNA conseguiram mostrar que se tratava de alguém do sexo feminino, que acabou ganhando o nome de Maria. Entretanto, na sociedade pré-colombiana do Peru, era comum que os crânios fossem mais alongados e esse detalhe anatômico foi um dos principais argumentos dados pelos “cientistas” do Gaia para “provar” que se tratava de uma múmia extraterrestre.

Só que o suposto russo Michael Aseev, que aparece nas imagens como um especialista em análise genética, sequer é listado em sites de seu país relacionados a Ciências. Já Jaime Maussan e Jesus Zalce Benitez, que aparecem como membros da equipe que teriam encontrado a “múmia alienígena”, são velhos conhecidos das fake news: em 2015, eles já tinham inventado uma história semelhante, na qual outra múmia com feições humanas e alienígenas foi descrita como sendo de outro planeta. Por fim, um tal de Dr. Konstantin Kototkov, que também integra essa trupe malandra, tentou vender uma máquina que fotografa a alma das pessoas por US$ 850.

Outra característica estranha é o fato de a tal múmia ser inteiramente branca, dando a impressão de ser apenas um molde de gesso bem do mal feito, por sinal. As múmias costumam ter uma coloração mais parecida com a de couro envelhecido. Essa história deve servir para provar que nem tudo que está escrito na internet é verdade – apesar de nós mesmo já termos caído em algumas histórias, como foi o caso da mulher que fingiu ser cega por 28 anos.

 

Veja uma bola de boliche por dentro

foto-imagem-bola-de-boliche

Uma bola de boliche é apenas uma casca dura com três buracos para você encaixar os dedos, certo? Errado. Na verdade, seu interior é composto com diversos materiais distintos que podem fazer toda a diferença na hora do jogo.

De forma grosseira, elas são feitas basicamente de duas partes: o núcleo e a coverstock (a camada que cobre a bola). O núcleo é a parte mais importante e difere bastante de bola para bola, conferindo habilidades distintas para cada uma delas.

Todas as empresas fabricantes desenvolvem estratégias para oferecer desempenhos específicos para cada tipo de bola criada no processo de fabricação. Dessa forma, as bolas de boliche podem ganhar por dentro formas e materiais completamente inusitados, fazendo com que elas apresentem desempenhos singulares dentro das pistas de jogo.

O processo do design do núcleo é o primeiro passo no planejamento de uma bola de boliche. Por meio de projeções animadas em um computador (através do CAD), os designers desenvolvem o conceito principal, que é dinamicamente desequilibrado para provocar a estabilização da bola à medida que ela se desloca ao longo da pista.

Isso faz com que ela role em um ponto diferente em cada rotação, evitando assim o desgaste e o acúmulo de óleo na mesma faixa de pista. Além disso, os núcleos são construídos com densidades diferentes. Alguns têm um centro mais pesado, e alguns núcleos são construídos com o peso distribuído em direção à superfície da esfera.

Mike Flanagan, da Storms, uma das marcas mais conhecidas de bolas de boliche do mundo, explica como esse processo funciona no vídeo abaixo (em inglês).

Vandalismo em um museu coloca Lamborghini Gallardo como ‘tela’ para seus visitantes

foto-imagem-Lamborghini

Se você é daqueles que sofre com um risquinho no seu carro, fuja desta matéria! Já imaginou se esse pequenino risco fosse em uma Lamborghini? E se fossem VÁRIOS riscos? É isso que propôs o museu ARoS Aarhus Kunstmeseum, localizado em Arhus, na Dinamarca. Em outubro do ano passado, uma Lamborghini Gallardo ficou exposta por 3 semanas à espera de “vândalos autorizados”.

O modelo, que custa a partir de R$ 600 mil, fazia parte da exposição “Nenhum Homem é Uma Ilha” e recebeu diferentes inscrições da galera que visitou o local. Apesar do ceticismo inicial, muita gente aderiu à “brincadeira” e fez parte do trabalho coletivo de arte.

A ideia inicial, inclusive, era que as inscrições no carro durassem mais de 3 semanas, mas isso se tornou inviável porque acabaria apagando as primeiras escritas e transformando a cor dele de preto para branco. Depois desse período inicial, a obra ficou “completa”, e os novos visitantes só podem apreciar o resultado.

foto-imagem-Lamborghini

Qual o motivo?

Uma das primeiras inscrições foi SKODA – uma marca de carros na Dinamarca muito mais barata do que a Lamborghini. Apesar de o veículo não estar mais recebendo inscrições, ele continuará exposto no museu até setembro deste ano, quando será devolvido a seu dono, o grafiteiro norueguês conhecido como DOLK.

Segundo Pernille Taagaard Dinesen, curadora do ARoS, a ideia era mostrar que cada ação que a pessoa faz deixa uma marca na sociedade. A obra final foi intitulada “Low Key”, uma expressão que significa dar pouca ênfase a determinado assunto. E se você achou muito absurdo, tudo bem: a arte é justamente feita dessas coisas bizarras que não fazem sentido.

O dono do carro, DOLK, disse que o comprou já usado na Itália, justamente para a exposição. Ele não imaginava que os danos seriam tão intensos: quase todas as letras da placa “Lamborghini” foram arrancadas e teve gente que tentou riscar até as janelas do carro! O grafiteiro não pretende repintar o carro depois da exposição.

foto-imagem-Lamborghini

Vandalismo?

Muitas pessoas, entretanto, não curtiram a proposta, dizendo que esse tipo de intervenção artística incentiva o vandalismo. A curadora do museu acredita que isso pode até ser possível, mas ela acha que uma obra de arte tem justamente a função de fazer as pessoas pensarem e mudarem seus desejos mais ocultos.

“Se você fosse sair e arranhar o carro de um estranho em um estacionamento depois de arranhar este, isso é totalmente sua responsabilidade. Nós instigamos você a arranhar um carro aqui, no ARoS, não na sociedade, o contexto em que você faz isso é muito importante”, analisa Pernille Dinesen.

Outros críticos dizem que a Lamborghini Gallardo já é uma obra de arte por si só e que autorizar pessoas a riscá-la seria um atentado artístico. DOLK defende que escolheu esse modelo justamente para causar estranheza e fazer as pessoas sentirem a dor dos riscos como se fosse em seu próprio carro. Vocês gostaram do resultado?

foto-imagem-Lamborghini

Fotos de animais descontraído

Não só de imagens bonitas e fofinhas da natureza vivem os concursos fotográficos: todos os anos, o Comedy Wildlife Photography Awards elege as cenas mais engraçadas e inusitadas da vida selvagem. A premiação, idealizada pelo fotógrafo Paul Joynson-Hicks, tem como objetivo principal incentivar a preservação da fauna terrestre de uma maneira divertida.

Cortes modernos para o seu cão – Sequencia de fotografias mostra cachorros antes e depois de receber aquele trato nos pelos

Grace Chon é uma fotógrafa especialista em animais, capaz de criar séries super fofas e divertidas através dos registros.

Essa sua sequencia de fotos mostra cãezinhos antes e depois de receberem um corte super moderno nos pelos. Olha só: